RSS

Rótulos mais bonitos do Brasil

11 Abr

Fizemos uma eleição com diversos designers, jornalista e blogueiros especializados em cervejas para eleger os rótulos mais bonitos do Brasil, entre cervejas artesanais e especiais, apenas. Foram 16 jurados (abaixo a lista completa), que votaram nos seus 10 rótulos preferidos, sem ordem alguma. Os mais citados foram os vencedores. Esta é apenas uma lista, e não visa premiar ou conferir algum título aos vencedores, sendo apenas uma forma de reconhecer os que estão agradando no design. O resultado vocês conferem abaixo com os rótulos mais belos do Brasil:

 

1º – (8 votos)

Seasons Green Cow

Considerada uma das melhores cervejas do Brasil, a Vaca Verde gaúcha foi a campeã de votos. Trata-se da American IPA da Seasons, de Porto Alegre. “Simpática e bem humorada, descontraída, com ilustrações estilosas e boa combinação de cores”, avalia o publictário Beto do Valle. Para o blogueiro e cervejeiro caseiro Linus de Pauli, o rótulo é: “irreverente e verde como o aroma e o sabor da cerveja.”

 

“Este rótulo me parece resumir a essência do cervejeiro artesanal, a ideia do faça você mesmo.
Aparentemente não há nenhum conceito de comunicação ou design neste rótulo, mas ficou
harmonioso e simpático. Ou seja, quem criou este rótulo atingiu o objetivo: destacou-se” afirma Robson Vergilio, designer especialista em rótulos de cervejas.

 

 

2º – (7 votos)

Bodebrown Hop Weiss

Além de ser a primeira cerveja brasileira a ousar misturar doses generosas de lúpulo em uma cerveja de trigo clara, ela cativou também pela aparência. Assim, a curitibana Bodebrown Hop Weiss ficou na segunda posição da nossa pesquisa. “Desenho meio psicodélico, reproduz bem a filosofia revolucionária da cervejaria”, explica Fabiana Arreguy, jornalista que comanda o programa Pão e Cerveja, na rádio CBN. Beto do Valle vai pela mesma onda: “viagem psicodélica à la led zeppelin. Pelo visual, poderia se chamar ‘hemp weiss’. ” Jornalista e autor do Blog do Bob, Roberto Fonseca destaca outra característica deste rótulo: “visual psicodélico ajuda a chamar atenção na gôndola”

 

3º – (6 votos)

Colorado Demoiselle

Sendo citada durante a votação com diversos rótulos, o desta porter com café da Colorado, a Demoiselle, se destacou e também ficou na terceira colocação, com 6 votos. “Um dos mais bacanas da cervejaria de Ribeirão Preto”, justifica Luís Celso, jornalista e autor do Bar do Celso. “Apesar do padrão seguido nos rótulos da cervejaria, esse me agrada mais pela composição das cores e pela disposição de vários elementos. Sem contar que é um rótulo de ‘grife’ pela assinatura do design por Randy Mosher”, explica Fabiana Arreguy.

 

Way

Com uma linha de rótulos com o mesmo desenho, apenas com cores diferentes, o votos foram concentrados no conjunto da obra, que agradou a muitos. Apostando numa linha ousada de estilos de cerveja, a Way também se destaca pelo design. “Os rótulos da Way são todos praticamente iguais, mas formam uma identidade visual de qualidade e muito característica, que tem a ver com a modernidade da cervejaria, que não tem medo de ousar em suas receitas”, afirma Fabian Ponzi, do blog Bebendo Bem. O jornalista Luís Celso compartilha da mesma opinião: “todas da série da Way Beer tem um conceito visual de embalagem muito legal. Além de bonito e moderno, os rótulos são serigrafados nas garrafas e tem até QR code.” Já Linus de Paoli se encanta com o rótulo feito com silk: “muito bem pensado, cada um com sua cor específica dando identidade a marca e para cada estilo de cerveja”, Linus de Paoli

 

 

 

Bodebrown Perigosa Imperial IPA

Mais uma cervejaria de Curitiba divide a terceira posição. Pela segunda vez a Bodebrown aparece na lista, agora com a Perigosa Imperial IPA. Atitude na receita, numa cerveja com muita personalidade, e no nome e design.”Heavy metal” define Beto do Valle. “Bela solução também para um problema: a mudança de nome e logo da cerveja perante o registro no Ministério da Agricultura. Antes chamada de Venenosa, passou para Perigosa, e a caverinha humana, símbolo de veneno, foi trocada pela de bode, fazendo referência à cervejaria”, revela o jornalista Luís Celso. “Apesar de simples, é muito criativo e marcante”, completa Fabian Ponzi

 

Petroleum

 

Trata-se da primeira cerveja caseira na nossa lista. Produzida pela DUM Cervejaria, a Petroleum iniciou com o rótulo da direita, arrebatando muitos apaixonados pela sua qualidade e design. Porém, recentemente, esta russian imperial stout passou a ser produzida pela cervejaria Wälls, em parceria com a DUM. Ela se chamará Wälls Petroleum e o primeiro lote deve chegar este mês ao mercado com o rótulo da esquerda. “A Dum Cervejaria já tinha um dos rótulos mais bacanas na minha opinião, e a Wäls Petroleum terá em breve algo bem bacana também”, avalia o curitibano Luís Celso.

 

7º – (5 votos)

3 Lobos Bravo

Polêmica, a série de rótulos da Backer, a 3 Lobos, veio ao mundo recebendo pedradas de tudo que é lado. Isto porque foi acusada de plágio à Flying Dog. Com cervejas inovadoras com toques de ingredientes brasileiros, o rótulo mais lembrado da linha foi o 3 Lobos Bravo, uma imperial porter maturada em barril de umburana. “Sim, eu sei que foi acusado de plágio e tudo mais! Mas, que é belíssimo esse rótulo, isso é! Detalhe para os ‘arranhões’ dos lobos rasurando a lateral esquerda superior. Grande sacada”, explica a jornalista mineira Fabiana Arreguy. “Adoro rótulos que contam histórias, que me prendem a atenção, que me fazem perder alguns
minutos analisando o desenho. Mesmo que no final eu não entenda do que estão falando”, revela Robson Vergilio.

 

Opa Pilsen Sumérios

A Opa Bier, de Santa Catarina, inovou: apostou no aluminío. Com sua pilsen batizada de Sumérios, ela conquistou também a sétima posição com 5 votos. “Moderno com seu logo na vertical e, ao mesmo tempo, tradicional com seus desenhos sumérios remetendo aos primórdios da fabricação de cerveja. A cor ficou perfeita. Muito legal!”, afirma o publicitário Saulo Magalhães. Já o especialista Robson Vergilio não esconde sua empolgação com esta bela garrafa. “Inovação total. Infelizmente no Brasil existe uma grande limitação em relação às garrafas. São poucas e limitadas as opções. Não precisa ser nenhum grande observador para perceber que todas as garrafas são iguais. Fugir deste panorama é um desafio. Como todo desafio, o risco é grande. O pessoal de Joinville arriscou e deu certo. Vender cerveja sem mostrar o liquido é algo difícil de aconselhar, estudos dizem que o consumidor gosta de ver o que tem dentro da garrafa”, afirma.

 

 

9º – (4 votos)

Vilã

O nono lugar ficou com a linha da Cerveja Vilã, de Belo Horizonte. Trata-se de uma cerveja caseira produzida pelo também designer Armando Fontes (que participou desta eleição, mas não votou na sua própria criação). “É maravilhoso esse rótulo, que reproduz apenas o olhar malévolo das grandes vilãs da ficção. Design muito bacana”, explica Fabiana Arreguy. “Belo rótulo de quem entende do assunto. Um dos mais bonitos, sem dúvida”, revela Luís Celso. Beto do Vale define ele como “minimalista e sofisticado”.

 

Coruja Viva

Assim como a Opa Sumérios, a Coruja apostou em garrafas diferentes, lembrando frasco de remédio. Com a Coruja Viva, cerveja não-pasteurizada, conquistou a nona posição. “A garrafa também é destaque que junto com um rótulo em silk dão um visual muito interessante e diferenciado as duas cervejas”, justifica Linus de Pauli. Para o jornalista Roberto Fonseca “o mascote ajuda na identificação da marca”.

 

Backer Medieval

Trata-se de outra cerveja da Backer, que aposta no clima místico e antigo para a sua Medieval. Com acabamento em cera, algo que remete a séculos atrás, ela se destaca no mercado. “Mérito do conjunto: rótulo, garrafa fosca e parafina na tampinha”, afirma Roberto Fonseca. “Esta cerveja é um clássico caso de um produto pensado do início ao fim. Eu destaco o conjunto da obra. Garrafa e rótulo. Tudo se encaixa, tem apelo e se manteve fiel na proposta da idade média.”, avalia Robson Vergilio.

 

 

Jurados:

Armando Fontes – designer e cervejeiro caseiro

Beto do Valle – publicitário

Daniel Bode – cervejeiro caseiro

Danilo Paulino – designer e cervejeiro

Fabian Ponzi – blog Bebendo Bem

Letícia Bortolon – arquiteta

Linus de Paoli – blog Rotenfuss Bier

Luís Celso – jornalista

Fabiana Arreguy – jornalista

Michel Mello – designer

Pablo Carvalho – designer e cervejeiro caseiro

Raphael Rodrigues – blog All Beers

Roberto Fonseca – jornalista

Robson Vergílio – designer, especialista em rótulos de cerveja

Salo Maldonado – publicitário

Saulo Magalhães – publicitário

Fonte: http://www.hominilupulo.com.br/universo-da-cerveja/rotulos-mais-bonitos-do-brasil/

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 11/04/2012 em Artesanais, Artigos, Curiosidade

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: